Retalhos de uma Manta Inacabada

Sou uma manta, cuidadosamente, tecida com os mais puros retalhos de seda selvagem e burel, cujas cores o tempo se encarregou de avivar ou desmaiar. Nela vão resistindo pequenos retalhos do bibe de xadrez com que brincava no jardim encantado do sonho. Num dos lados, repousam enormes retalhos de todos aqueles que já partiram, mas que conservarei para sempre no meu coração. No outro lado, estão todos aqueles que ainda posso tocar e amar.

Nome:
Localização: Aveiro, Portugal

Eternamente crisálida...

sexta-feira, julho 27, 2007

Escrevo...


Escrevo quando o sol se esconde por trás dos outeiros e a lua espalha sobre mim os seus raios de prata.

Sento-me no patamar do meu sonho e, pouco a pouco, vou desfiando o novelo das palavras que se enrola no meu colo.

Com os fios de seda, teço nuvens algodoadas que pairam sobre os castelos tecidos numa trama de juta… enrijecida pelo tempo.

Com estes fios de lã, teço ninhos de ternura que vou aquecendo com o calor que brota da minha alma sedenta de luar.

E, na trama de linho urdida no meu peito, enrolo os fiapos dourados de uma vida a partilhar!

Maria Rosmaninho

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

http://paginas.terra.com.br/informatica/tpb/Utilitarios/util.htm n deixar copiar textos