Retalhos de uma Manta Inacabada

Sou uma manta, cuidadosamente, tecida com os mais puros retalhos de seda selvagem e burel, cujas cores o tempo se encarregou de avivar ou desmaiar. Nela vão resistindo pequenos retalhos do bibe de xadrez com que brincava no jardim encantado do sonho. Num dos lados, repousam enormes retalhos de todos aqueles que já partiram, mas que conservarei para sempre no meu coração. No outro lado, estão todos aqueles que ainda posso tocar e amar.

Nome:
Localização: Aveiro, Portugal

Eternamente crisálida...

sábado, outubro 14, 2006

Cavalo à Solta


Cavalo dourado nas asas de um sonho surgido do vento…

Crinas esvoaçantes tocando a minha pele crestada pelo tempo…

Mãos de veludo e ternura sedenta do toque de um sonho nascido…

Olhos presos ao desejo de ser um ninho sedoso de plumas aquecidas ao sol…

Coração desnudado em fina rosácea palpitante de uma vontade louca de te tocar…

Eternamente.


Maria Rosmaninho

Mafalda Arnauth-Cavalo à Solta


8 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Rosmaninho, só te posso dizer que o Snoopy ficou muito perturbado pelo tema dos teus últimos versos.
"Crinas soltas ao vento", aflorar pelo toque de um dedo a pele "crestada pelo tempo"... É preciso chegar a velho para se apreciar o percorrer, como um cego, a pele de alguém que se deseja e encontrar o rugoso da ruga (pleonasmo?). Os teus admiradores Charlie e Snoopy

14 outubro, 2006 18:59  
Blogger Maria Rosmaninho said...

Caro Charlie

Seja qual fôr a idade, só a rugosidade das rugas da alma deverá ser temida, até por quem não é cego.

14 outubro, 2006 21:13  
Anonymous Maria said...

Que o sonho seja sempre,o teu sonho,mesmo que o tempo já não tenha tempo.
Lindo Maria...como tudo o que escreves.
Beijinho

14 outubro, 2006 21:50  
Anonymous Charlie & Snoopy said...

Rosmaninho, ao voltar ao teu Blog, a minha atenção é ficada em duas coisas: na "explicação" do nome do teu blog a tua escolha de colocares entre vírgulas o "cuidadosamente", como quem obriga o leitor a fazer uma pausa, forçada, intencional, no papel que o tempo teve na tecitura da tua manta; a outra é a escolha de um link para um "clock" como a advertir-nos para a sua passagem ixeorável. Os teus amigos de Lisboa,

20 outubro, 2006 17:43  
Anonymous Charlie & Snoopy said...

Desculpa os erros no post anterior, artroses nos dedos do Snoopy, que não na alma....
"ficada" leia-se "fixada" e "ixeorável" leia-se "inexorável"

20 outubro, 2006 17:45  
Anonymous Mar Azul said...

Lindo Rosmaninho. A tua escrita tem sempre o toque "sedoso" da tua sensibilidade.
PS- Canto o "tombe la neige" claramente melhor que o Adamo. Mas respeito a tua opção por ele.

30 outubro, 2006 01:15  
Blogger Maria Rosmaninho said...

Caros amigos Charlie&Snoopy

É o Tempo, na sua inexorabilidade, que nos ajuda a tecer ponto a ponto os vários retalhos da nossa manta colorida.

Assim, procuro decorar cada retalho com flores bordadas com uma melodia feita dos meus encantos e...desencantos.

01 novembro, 2006 18:17  
Blogger Maria Rosmaninho said...

Mar Azul

A minha sensibilidade de que falas é apenas e minha forma de estar na vida... ou sob os raios da Lua que muitas vezes me ilumina... ou contemplando a imensidão de um mar azul... tantas vezes imenso.

Escolhi o Tombe la Neige porque faz parte de um dos meus retalhos...quiçá um dos mais coloridos.

Nunca duvidarei que o saberás cantar muito melhor que o Adamo, mas há vozes que só os eleitos poderão escutar.

Já agora, vou tentar cantar só um pouquinho...

Tombe la neige
Tu ne viendras pas ce soir
Tombe la neige
Et mon cœur s'habille de noir...

01 novembro, 2006 18:35  

Enviar um comentário

<< Home

http://paginas.terra.com.br/informatica/tpb/Utilitarios/util.htm n deixar copiar textos